O torcedor palmeirense se despede do velho Palestra Itália, o estádio mais antigo em atividade no Brasil, palco de inúmeras glórias e alegrias, e começa a sonhar com a Arena, que será o mais moderno complexo esportivo das Américas. Prepare o coração, torcedor alviverde, porque o sonho de todas as gerações será colocado em prática e vai surpreender a todos com sua grandiosidade e beleza.

“Estamos prestes a sofrer uma verdadeira revolução na nossa história. O projeto Arena é um presente para todas as gerações de palmeirenses e palestrinos. Não é um projeto de uma Presidência ou uma diretoria, mas sim de todos os palmeirenses. Estamos muito perto de uma total independência financeira, da realização de ter um estádio moderno e um clube totalmente novo”, afirmou Luiz Gonzaga Belluzzo, presidente da Sociedade Esportiva Palmeiras.

A capacidade da Arena está definida: 45 mil expectadores, ideal para abrigar qualquer tipo de jogos finais e, ainda, competições importantes internacionais. Com relação ao estádio atual, mudanças fundamentais serão realizadas.

O anel inferior da arquibancada será fechado na parte das piscinas, passando para uma capacidade de 30 mil lugares. Acima, dois andares com cerca de 250 camarotes e cabines de imprensa se erguerão (um restaurante, com vista para o campo, será instalado neste novo anel). A capacidade total deste novo espaço ficará em torno de 5 mil lugares. A imprensa ficará instalada nos dois lados do campo (do lado da av. Padre Tomás ficarão as cabines de TV, e do lado da Turiassu, as cabines de rádio e imprensa escrita). Por fim, um anel superior, que será destinado às cadeiras especiais da nova Arena, comportarão um público estimado de 10 mil torcedores.

Para não prejudicar a área do conjunto aquático e, assim, causar transtornos aos sócios, o campo de futebol será deslocado cerca de 7 metros em direção ao lado do placar eletrônico. A parte inferior do gramado –onde hoje estão os vestiários do futebol profissional, de um lado, e os vestiários femininos, de outro—será totalmente aproveitado no novo projeto. Este local contará com quatro novos e modernos vestiários para as equipes de futebol, totalmente adaptados às exigências da FIFA.

A entrada dos times em campo, assim como a posição dos vestiários, também muda. Na Arena, os times passam a ter entrada comum, pela área central do gramado (onde ficam hoje as numeradas cobertas). Assim, os ônibus com as delegações do Palmeiras e visitantes vão ter acesso pelo portão da Turiassu.

O Jardim Suspenso, inovação do Palestra Itália, continua. Mas com modificações. Os torcedores, por exemplo, não transitam mais no corredor abaixo do campo, que passa a ser apenas para o corpo administrativo da Arena, autoridades, policiais, ambulâncias, etc. Haverá, ainda, um estacionamento interno para o uso de caminhões e veículos da imprensa, além de carros da polícia e ambulâncias.

A Arena será construída com tecnologia de última geração e terá projetos de sustentabilidade, principalmente no que diz respeito ao uso e reaproveitamento de água, energia elétrica, etc.

Mas a futura Arena não será destinado apenas ao futebol: será um importante pólo de eventos culturais, musicais e esportivos em geral.

Para shows, por exemplo, a capacidade chegará a 60 mil. Além do estádio, o complexo irá contar com um auditório modular que comportará entre 500 e 2.000 pessoas e um anfiteatro modular para receber eventos de 2.000 a 20 mil pessoas.

A localização da Arena é um dos grandes trunfos do projeto. A proximidade do centro da cidade e acesso a grandes vias — como a Marginal Tietê, avenidas Sumaré, Francisco Matarazzo, Marquês de São Vicente e Pompéia— faz com que o projeto seja único e diferenciado. Isto tudo na maior cidade da América do Sul e principal centro econômico do País.

O projeto

Com investimento total de cerca de R$ 300 milhões, a WTorre inicia o projeto de transformar o estádio Palestra Itália na mais moderna Arena multiuso das Américas, nos moldes de qualidade e conforto e praticidade das principais praças esportivas da Europa, e totalmente dentro dos rígidos padrões exigidos pelo caderno de encargos da FIFA. Deste total, cerca de R$ 50 milhões ficam destinados para a construção de melhorias no clube social, além dos novos vestiários junto às piscinas, e na construção de prédios administrativo e esportivo no complexo da Arena.

O projeto Arena está regularizado na Prefeitura de São Paulo e já passou com aprovação por todos os departamentos e secretarias municipais envolvidos na questão. Todas as garantias bancárias estão asseguradas, o que oferece total garantia e segurança para o início e conclusão do projeto.

As obras, no clube, já começaram pela relocação das quadras de tênis. “Nossa previsão é que em aproximadamente um ano os prédios administrativo e de quadras estejam prontos. Já em relação à Arena, calculamos dois anos. Ou seja, em meados de 2012 todo o complexo estará pronto”, afirma José Cyrillo Jr, diretor de Planejamento do Palmeiras.

O Palmeiras ganhará em todos os sentidos. O associado terá um clube completamente novo, o mais moderno do Brasil, com novas quadras cobertas, ginásio, restaurantes, lanchonetes e todo o conforto possível.

Na parte financeira, novas fontes de renda –hoje inexistentes– vão garantir um futuro brilhante à Sociedade Esportiva Palmeiras. A renda de todos os jogos do Palmeiras na futura Arena serão 100% do clube. Pelo contrato entre Palmeiras e WTorre, todas as despesas para a utilização da Arena (luz, água, segurança, limpeza, seguros, manutenções do gramado, etc.) ficarão a cargo da empreendedora –estes gastos estão estimados em cerca de R$ 9 milhões anuais, estimando-se até 40 jogos por ano.

O Palmeiras terá uma participação crescente em todas as propriedades da futura Arena (camarotes, cadeiras cativas e especiais, restaurantes, lanchonetes, etc.), durante os 30 anos de concessão, que variam de 5% (as propriedades) a 20% (as receitas), valores estes que crescem 5% a cada 5 anos.

“A Arena, quando concluída, não será apenas um moderníssimo espaço para o futebol, mas será o principal local dos principais shows e eventos da cidade de São Paulo. Será uma referência mundial, um motivo de orgulho para todos os palmeirenses”, disse Cyrillo, referindo-se às múltiplas formas de utilização do espaço.

Fonte: Palmeiras